Super Bowl “LII” (2018)

O Super Bowl é um marco na propaganda dos Estados Unidos. Sendo o espaço publicitário mais caro da televisão americana, o espetáculo criado ao redor do jogo toma proporções que transcendem o campo esportivo.

O show, no intervalo do jogo (Pepsi Halftime), acaba tendo tanta atenção quanto o jogo em si. Resultado do grande esforço para transformar a partida em um enorme evento de entretenimento.

Todos os anos grandes empresas disputam o interesse do público com comerciais ousados e criativos. Enquanto em 2017 o que mais chamou a atenção foram as propagandas com tom político, em 2018 duas ações impactaram mais. A Netflix, como não podia deixar de ser, surpreendeu ao anunciar um lançamento de um novo filme da franquia Cloverfield em seu serviço de streaming mesmo sem ter feito nenhuma divulgação previa. No melhor estilo Silvio Santos, a empresa anunciou o lançamento para “logo após o Super Bowl”, o que gerou uma onda de comentários nas redes sociais e o burburinho tão desejado.

Outro grande destaque das propagandas, acredite, veio justamente da NFL, que produziu um vídeo hilário com Eli Manning e Odell Beckham, dois de seus principais jogadores, dançando ao som de Time of My Life, em uma encenação da cena clássica de Dirty Dancing. A propaganda, que logo se tornou viral, era uma referência a permissão, por parte da própria NFL, das comemorações mais descontraídas quando os times pontuassem.

O sucesso comercial do Super Bowl lá também tem seus efeitos por aqui. A ESPN, que transmite o jogo ao vivo para o Brasil, também teve aumento significativo na quantidade de propagandas, o que levou até a diminuição na tradicional interação entre o narrador, o comentarista e o público. Cada pausa no jogo era espaço para propagandas (algumas até temáticas) de diversos patrocinadores.

2018-02-08T16:20:53+00:00